CHAMAMÉ


   
  Chamamé é um gênero musical tradicional da província de Corrientes, Argentina, o chamamé se expande também pelo Paraguai e por vários locais do Brasil (nos estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul).


*História :

  A dança se originou na tribo indígena "Kaiguá", entre Brasil e Corrientes, e era conhecida como “Polkakirei”, uma polca movida em ritmo ágil. A palavra chamamé estive origem da frase “Che amoa memé” que significa “te protejo”. A palavra chamamé não é guarani e nem espanhola. Por isso, não há uma tradução para chamamé. Para os argentinos, chamamé significa "senhora ama-me". No Brasil, a palavra tem o significado de "chama-me para bailar" ou "aprochegar-se de mim".

*Desenvolvimento :

  O chamamé está cada vez mais abrasileirado. Depois de introduzir no Rio Grande do Sul, já se perdeu parte de sua originalidade, formando uma legião de apreciadores e enriquecendo o repertório das canções regionais passo a passo e acrescentou alguns instrumentos locais e típicos. Por tanto,este ritmo se tornou um dos mais impressionantes do nosso Fandango Gaúcho (fandango : Baile popular, rural, ao som de viola ou de sanfona). 

*Influência : 
  O chamamé permite a improvisação e será o jazz do novo milênio. Ele está tão aculturado que não tem mais o que ser mexido. O ritmo é considerado como o rei dos bailes gaúchos. Hoje, não há festa em que ele não esteja presente.

*Caraterísticas:

  O chamamé é dançado em compasso ternário, ou seja o chamamé valsado. Na Argentina, o chamamé é cantado e tocado, acompanhado pelos sapucays (que, em guarani, significa "grito da alma") é o único a permitir a emissão de sapucays e também o único a utilizar acordeão de botão.

 Instrumentos : Utiliza o acordeão e o violão como instrumentos principais.

Acordeão

violão 




*Artistas e obras 

 Os quatro principais chamameceros argentinos foram Ernesto Montiel, Antônio Tarragó Roos, Tránsito Cocomarola e Paquito Aranda. Eles produziram alguns dos chamamés mais conhecidas no Brasil, como Maria Vá, Mercedita e Kilômetro 11. No Rio Grande do Sul, o principal chamamecero é Luiz Carlos Borges.

A estátua de Ernesto Montiel em Paso de los Libres 



 Mercedes Sosa & Antonio Tarrago Ros - Maria vá :





Luiz Carlos Borges.

O compositor Luiz Carlos Borges (Santo Ângelo, 25 de março de 1953), é considerado um dos principais nomes da música regional do Rio Grande do Sul.Conta que sua identificação com o chamamé começou na infância, que apreciava ouvir música folclórica argentina pelo rádio. Aos seis anos, Borges decidiu que ia ser acordeonista e começou a freqüentar uma escola de música. Quando estudou em Santa Maria - RS, iniciou sua carreira solo a partir do sucesso com a composição Tropa de Osso.

Na vida de Borges, o chamamé foi motivo para duas fugas. Aos 14 anos, cruzou o Rio Uruguai sozinho para assistir a um festival de chamamé em Santo Tomé (na Argentina), na fronteira com São Borja- RS. Dois anos depois, foi ao festival de San Inácio (na Argentina), onde um amigo o apresentou para o acordeonista Ernesto Montiel. O encontro marcaria para sempre sua vida artística.
Naquela época, ele sabia tocar uns 400 chamamés e lembra que tocou um para o Montiel. Ao final da execução, Ernesto Montiel disse: "Este brasileiro está autorizado a tocar chamamé".

Na Chama do Chamamé- LUIZ CARLOS BORGES


Tropa de Osso



Opinião pessoal(Esperança):

Antes que eu conheça o chamamé, acho que é muito antigo e chato. Mas ao contrário, é bem diferente na verdade. Ao ouvir canções e ver vídeos de chamamé, eu me interessei por ele imediatamente.Embora o chamamé se originou na Argentina e eu não entendi as letras de algumas canções, trouxe uma sensação especial e maravilhosa.
O chamamé não só um gênero da música também faz parte de uma alma e inspiração de coração.É como um raio de sol, irresistivelmente louco, quente, vivo. O ritmo do chamamé é construído por várias formas, principalmente se reflete com diferentes caraterísticas nas diferentes regiões, por exemplo, no Rio Grande do Sul, formou uma legião de apreciadores, enriqueceu o repertório das canções regionais e acrescentou alguns instrumentos típicos. Este ritmo se tornou um dos mais impressionantes do gaúcho.Isso me atraiu muito por causa de ser uma ponte para aliar a música e cultura. O chamamé aproveita bem os espaços abertos de música graças à influência tradicional e moderna. Está cheio de elementos históricos e culturais.
De acordo com o chamamé, eu posso ter sensação de alegria coletiva. Algumas canções são cantadas suavemente. Neste momento, eu só preciso fechar os meus olhos e imersar no mundo da música, parece que eu passeio na floresta e o vento leva as minhas ideias à distância. Algumas canções são dançadas com paixão, é uma combinação das energias e todo mundo se sente feliz. Neste momento, parece que a minha coração está queimando, que agradável! Agora, não precisa pensar em nada, é melhor que escute o chamamé, acredito que todo mundo vai entrar o mundo maravilhoso, vale a pena ouvir absolutamente.




1 条评论: